Rua Caio Mario

20.12.08

practically perfect in every way

você chegou tirando coisas fantásticas
de dentro da bolsa me encheu a boca
de açúcar me ensinou a rir até o teto
e sumiu num dia nublado com o guarda-
chuva em riste sobre as chaminés de londres
dizendo que volta quando der na telha.

9 comentários:

Pavitra disse...


esse é texto-imagem!
eu li, vendo o filme...

só faltaram os créditos subindo na tela
(mas vou imaginar tbm) rs

p.s. adorando o livro!

Cosmunicando disse...

ótimo!

Alice Sant´Anna disse...

que lindas as fotos do lançamento! e que máximo esse poema quando der na telha.

diana sandes disse...

lindo... mary teria inveja.

A Menina Sem Século disse...

ai....
esse quando der na telha....
não é todo coração que aguenta ne!

cristina capanema disse...

Já tinha visitado Laranjeiras e Copacabana, agora volto e vejo Londres. Virei sempre que der na telha. Por onde mais seus poemas vão levar?
bj

Mariana disse...

oh! vi a moça com o guarda chuva em riste...

bianq disse...

todos voltam quando der na telha. coisas que dão na telha é bom. dá água na boca.

Miguel Barroso disse...

Um poema-filme. >Gostei bastante.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO