Rua Caio Mario

5.3.08

no meio da onda do doce
achei que eu fosse morrer
e pensei
que se morrer fosse aquilo
eu queria morrer todo dia muito

5 comentários:

Isabel disse...

eu queria ter coragem de querer morrer todo dia muito. queria que a morte também fosse (um) doce...

- Marechal Carleto - disse...

a minha ultima morte
foi quase causada pelo doce
era uma agonia de querer
rasgar o peito.
nem chuveiro frio
nem o dedo na garganta
nada me ressuscitava
apenas o sagrado pão
líquido me reanimou
e só me restava portanto
sacrificar o próprio fígado

Luiz Coelho disse...

Voilá! Transgressivo, hein?!

Máfia Mambembe disse...

Every time we say goodbye
I die a little,
every time we say goodbye
I wonder why a little...
Cole Porter

Priscila Lopes disse...

Você tem feito um bom trabalho por aqui. Tem poemas simpáticos, como este, outros mais introspectivos. Todos abrigam qualidade.

Espero-o no Cinco Espinhos, quem sabe você é o nosso próximo garimpado.

Abraços