Rua Caio Mario

9.9.09

gênese II

No princípio era o verbo
uma vaga voz sem dono
vagando pela via láctea

Depois veio o sujeito
e junto com ele todos
os erros de concordância.

10 comentários:

Raoni disse...

Sintético e foda!

Cris Chevriet disse...

na sua melhor forma poética de ser objetivamente subjetivo, vc me encanta!!!

Daniel Belmonte disse...

ahahahahha
Sensacionalmente maneiríssimo

Joi disse...

é o melhor! nao sou eu quem digo, é o povo de ipanema qu.....

bonitao!

Luiz Coelho disse...

"Fineza", diria o nosso presidente.

Stephanie Pereira disse...

Genial =D

Andrè Dale disse...

Eu estava com saudade

Matofino disse...

belíssimo.

Thayne Braga disse...

1ª vez no blog e já virei fã.Parabéns

Daniela Moreira disse...

que legal, adorei!