Rua Caio Mario

25.6.07

poema pop



quando seus dedos branco escarlate
tocaram na superfície gelo
da água verde piscina
um calafrio rosa bebê percorreu
sua espinha amarelo sangue
tingindo o chumbo gris do céu
com rajadas de azul chocante

5 comentários:

Catharina disse...

esse eu reconheço que é seu de longe! Totalmente Gregorio Duvivier!
Muito bom

Luiz Coelho disse...

acrilic on canvas!

Mas bem deglutido sob o signo Duvivier!

Alice Sant´Anna disse...

ah, imagina! é que encontrei o lucas assim que terminei a primeira leva dos livrinhos, nessa semana. assim que te encontrar te dou um exemplar! (aliás, ontem encontrei com a sua tia rita na festa da minha tia patrícia. dei um livrinho pra ela também.)
beijo

Luiz Coelho disse...

Gregório,

tá aí o poema pop:

LAURYN HILL

vem e canta, voz embargada
versão unplugged, contrasenso,
acorda meus ouvidos avel
udados, distoando enton
ação de último volume,
drum’n bass. abre essa boca caixa
acústica e rabisca a pauta
dos meus olhos arrepiados,
espelhados de motel, com
batom Avon sangrando injúrias
apaixonadas - agulhadas
estridentes de agudo unha
arranha esta cara vinil
para que eu jamais deixe de
repetir teu som na vitrola em
good times unforgettable.

Luiz Coelho disse...

Mostra pra Catharina, valeu?

Manda sua opinião, depois!