Rua Caio Mario

21.6.07

erguer

erguer um pé – só – e esperar que este
toque o chão para erguer o outro que
só depois de tocar o chão de novo
deixará o primeiro por sua vez

levantar-se; e além de tudo isso
há a necessidade de mover-se
pra frente – sempre – além do perigo
iminente da queda, que haverá

de ocorrer, fatalmente, sucessivas
vezes e que não pode coincidir
jamais com o deixar de caminhar

mas com o levantar e o calmamente
recomeçar, pé ante pé, até
que já não haja como levantar-se.

3 comentários:

- Marechal Carleto - disse...

Tento erguer os dois ao mesmo tempo...


e discretamente


caio de joelhos...

(El início del intercambio)

Catharina disse...

a lá Cortázar. Gostei.

Luiz Coelho disse...

haxixiano!