Rua Caio Mario

25.10.08

elephant gun

Te encontro na Moldânia ou na Manóvia
às sete da noite de 2016 na praça
principal de uma cidade excusa
em que as ciganas foram proibidas
de tomar café e os negros pintam a palma
da mão de amarelo e as pousam sobre
a fronte cansada da longa viagem de trem.
(chegaremos a pé cada um de um lado
e você se sentará sobre um banco envolta
em serpentinas e um manto xadrez
e sobre o teu colo eu tombarei como um boi.)

11 comentários:

Cosmunicando disse...

quando eu crescer, quero escrever desse jeito =))

Lara disse...

Nice!

Isso é saudade ou cansaço?

Luiz Coelho disse...

Gregório,

obrigado por este texto! É fantástico!

Gabriel disse...

muito bom, cara!

Abraço,

Gabriel

Isabel disse...

até ontem nunca tinha pensado em 2016 como uma data possível. e hoje penso num dia qualquer em 2016 que anoitece comigo ainda no mundo. isso me atravessa.

fantástico mesmo esse texto.

Matofino disse...

Ei, que bonito!!!!!!
:-)

Patrícia Angélica disse...

nossa...

sempre fico sem palavras ao ler as coisas q vc escreve!!

nada mais a dizer a não ser: LINDO!!!!!!!!

gduvivier disse...

a todos recomendo o clipe da música elephant gun, que inspirou o poema.
http://www.youtube.com/watch?v=gsfAmkKRcFU

claire disse...

sensacional!

Pavitra disse...


adorei!

vou ao vídeo...

obrigada por tudo :)

Pode Beijar a Noiva disse...

Ixe,cara.
Tinha lido o poema faz algum tempo,fiquei com ele na cabeça mas esqueci de te falar o quanto gostei.Mas chegava a pensar nele ás vezes.
Depois assisti "capitu" e mais do que ficar louco com a série,toda vez q tocava essa música eu achava muito sinistra.
Hoje: terminada a minissérie e vc lançando um livro eu descubro o nome da música e resolvo voltar aqui no seu blog pra tirar satisfações sobre a coincidência.E vi que não há nenhuma já que você se inspirou nesse clip.
Beijoquinhas assanhadas,Rodrigo.