Rua Caio Mario

24.11.06

"eu sou a beira do mundo"


Desgovernar-se: mergulhar a fundo
na própria ilucidez, deslucidando
de deus os trocadilos. Descobrir-se
pérola entre porcos: corpos entre

um mar sangüino de desesperança.
Há nervos entre a pele e o sangue e os ossos:
descontrole remoto de um sistema
carnívoro-nervoso, só sucata.

Estamirar-se: autoperceber-se
para sempre à deriva de qualquer
caminho. Fartos dessa eterna farta

desse deus sujo que nos criou sujos
e conscientes de nos despertencer,
é ser e estar no mundo sempre à beira.

6 comentários:

Catharina disse...

Pude ler com mais calma agora: FODA!

Claro, Clara. disse...

Acho que j[a nem tem mais graça eu postar aqui de tanto que eu falo: "adoro", top5", "amei", etc...
Mããããsss, é a verdade. Muito bom msm!
Bjos

Rodrigo Arruda disse...

...Uhum...Independetezinho...é?...

devaneios disse...

achei o ultimo paragrafo especialmente genial! "bravô" como diriam os franceses!
bjos

?? disse...

Maravilhoso! Quando eu crescer, quero escrever que nem vc.

Beijos!

Catharina disse...

Que rasgação de seda vcs dois, hein..